Tereza Bodemer

"Tudo posso, em Deus, que me fortalece!"

Textos

 

 

Então, morremos...

 

 

 

Fotos de Semeadura, imagem para Semeadura ✓ Melhores imagens | Depositphotos

 

Já nascemos com uma sina certa:

- Um dia morreremos!

É fato...

 

Porque então esse medo todo,

do extermínio da humanidade,

com a possibilidade de uma

explosão geral da Terra?

 

Se isso for mesmo acontecer,

será mesmo que, do lado de fora,

com os conhecimentos humanos,

o poder do conhecimento da mente,

através do desenvolvimento da ciência....

Será mesmo que se pode fazer alguma coisa,

indo criar um novo lar humano, em outro planeta?

 

Tantos mundos mentais arrasados,

cheios de prisões emocionais,

prisões existenciais, precisando

encontrar libertações...

 

Tem hora que parece que o cansaço toma,

a fé arrefece, a esperança quer fugir...

 

Crer no Poder Maior que nos dá a vida,

e que trás a nós um pequeno tempo,

que não permite que se perpetue 'ad eternum'

aqui nesse mundo terreno...

 

Crer nessa Mente Poderosa,

que permite que haja vida plena na Terra,

sem que nós humanos possamos, realmente,

mudar nada... inventamos, sobre o que já há,

mas nada além do que já está nas mentes...

 

Não criamos outros planetas!

Não criamos estrelas, nem sol, sem lua,

tudo o que precisamos encontra-se

na matéria desse mundo terreno que ocupamos.

 

Já ampliaram a sobrevida de muitas pessoas,

que doentes ou machucadas, se noutros tempos,

a morte não seria protelada...

 

A ciência se multiplicou muitíssimo.

A mente humana criou e construiu muitas coisas,

para sua própria evolução física, material, criando

espaços cheios de atração e facilidade para nós,

humanos, habitarmos aqui mais confortavelmente.

 

O poder da mente humana é inegavelmente grande.

É necessário que tenhamos mentes que constroem

sonhos reais, materializando-os. Mas não podemos

esquecer que... um dia vamos... um dia partiremos...

 

Lembrar dessa verdade nos pode tornar mais humanos,

menos arrogantes e orgulhosos, mais empáticos, solidários.

 

Não temos que sofrer porque morreremos! Não!

Apenas precisamos viver de maneira mais inteligente,

com sabedoria espiritual mais elevada, buscando,

nesse curto espaço de tempo que parece durar tanto,

buscando encontrar mais paz e harmonia, numa união

planetária em favor do bem estar de todos.

 

Já está provado que o egoísmo, a avareza, o egocentrismo,

são sentimentos que geram ações prejudiciais a quem faz,

e a quem recebe. Mal e mal gera maldade, tristeza, desespero;

Violência trás medo, dor, sofrimentos muitos...

 

Vamos sentir a nossa dor, buscando entender a dor do outro,

que está quebrado, sofrendo a morte de alguém, o rompimento,

está com fome, com tristeza, precisando de apoio, abraço,

um pedaço de pão, um lugar mais seguro para criar seus filhos..

 

Chega de guerras! Chega desse egoísmo e poder abusivo,

que não respeita o direito que cada pessoa tem de ter um

lugar digno para viver e crescer, se desenvolver, criar...

 

Mais justiça! Mais justiça!

Mais amor e paz, por favor!

 

Mais Deus, nos fazendo entender que

daqui o que levamos não fica...

O que levamos é o que vivemos,

o que sentimos, o que nos tornamos...

 

Que seja bom!

Que na nossa partida desta Terra,

possamos ter um lugar bom

para habitar, no além! Amém!

 

Porque, se acaso nosso planeta queimar,

destruindo tudo que na Terra há,

não posso acreditar que lá,

em qualquer outro planeta,

uma nova pátria,

construida por maos de homens,

haverá. 

 

Mas acredito em Deus,

e nas promessas de Novos Céus

e Nova Terra, onde a justiça 

será a lei maior bendita,

com amor, que produz vida,

alegria, paz, delícias...

 

Cada um crê no que pode,

crê no que conseguiu entender,

crê no que quer, diante do que viu, ouviu

sentiu, aprendeu (ou não),

seja verdade...

... ou não...

 

E viva a boa educação!

Que nos ensina que como humanos,

somos todos irmãos,

e que a dor de um sempre será,

de algum modo, em algum tempo,

a dor de todos, a dor dos humanos.......

 

 

 

 

 

Maria Tereza Bodemer
Enviado por Maria Tereza Bodemer em 30/07/2022
Alterado em 30/07/2022


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras