Tereza Bodemer

"Tudo posso, em Deus, que me fortalece!"

Textos

Liberdade, ainda que tardia...

 

 

 

 

Hoje, entrando aqui no espaço desse Recanto das Letras, me deparei com temas sobre a libertação dos escravos. Realmente a luta pelas liberdades individuais, e sociais, tem permeado de histórias de dores, lutas, conquistas, no decorrer dos tempos. O domínio das pessoas sobre as pessoas é uma constante.

 

A História do Brasil trás muito assunto sobre esse tema. A luta dos escravos, a luta pela liberdade da sociedade de governos sugadores (Brasil x Portugal) , as lutas das mulheres, a nossa luta diária, cotidiana, para ter mais espaço, mais direitos, mais liberdades...

 

A luta das gentes, por um mundo melhor, mais justo, mais honesto, com melhores oportunidades para todos, ainda deixa muitos lugares muito aquém do que seria bom. Até hoje há muito preconceito. Contra os diferentes e os menos favorecidos, ou fragilizados. Mas a luta é de todos e de cada um. Ficar chorando e reclamando dos maus tratos, sem se impor com trabalho e dedicação, também não é a solução ou o caminho para se conquistar coisas mais justas. Reclamar, apenas, não resolve. Temos que continuar lutando, pelo todo, e por nossas conquistas pessoais, fazendo a nossa parte cotidiana, se quisermos mesmo fazer alguma coisa pra deixar o mundo que recebemos, melhor do que quando chegamos.

 

"Faça a tua parte, que eu te ajudarei."

Quando vemos a luta dos negros, para serem libertos da escravidão, podemos perceber que eles mesmos lutavam, e não eram passivos ou inativos, mas lutaram sempre pela liberdade de ir e vir, o direito de trabalhar onde quisessem. E essa liberdade existe em toda sociedade brasileira. Existe racismo contra os negros, mas o 'Bhulling' existe não só contra os negros. Mas, e também, contra mulheres, gordos, gays.

 

A luta por respeito não é só dos negros. A luta por liberdade e respeito, é de todos os que, de alguma forma, são oprimidos por sociedades paternalistas, machistas, dominadoras, que fazem com que as massas sejam dominadas por essas forças, com aparência de cuidadoras dos povos, mas que por trás são, na maioria das vezes, egoístas e cruéis.

 

Que sejamos livres, dos apegos e das opressões, quando somos oprimidos, ou quando oprimimos. Lideranças são necessárias, mas opressões precisam ser vencidas. Abusos de poder. Abusos de autoridade. Abusos sexuais. O poder abusivo dos mais fortes contra os mais fracos, é uma luta ainda muito presente nas sociedades atuais. Existem leis brasileiras muito importantes, quanto a esses temas sobre respeitar o próximo, nos seus direitos de serem o melhor de si. Opressão é uma forma de aprisionar. Liberdade ainda que tardia, vamos lutando, pra sempre e sempre, alcançar.

 

 

 

 

"O bullying corresponde à prática de atos de violência

física ou psicológica, intencionais e repetidos, cometidos

por um ou mais agressores contra uma determinada vítima."

 

 

 

'Libertas quæ sera tamen':Liberdade ainda que tardia

é a tradução mais comumente dada ao dístico em latim

''libertas quæ sera tamen'', proposto pelos inconfidentes

para marcar a bandeira da república que

idealizaram, na Capitania de Minas Gerais,

no Brasil do final do século XVIII.'

 

 

 

Maria Tereza Bodemer
Enviado por Maria Tereza Bodemer em 13/05/2022
Alterado em 13/05/2022


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras