Tereza Bodemer

"Tudo posso, em Deus, que me fortalece!"

Textos

Profundas dependências...




Graças a Deus, porque somos dependentes...


Fico lembrando da minha dependência,
nesse meu tempo, que pareço independente,
mas não sou! ...


Me irritei, algumas vezes,
pela sua necessidade de dominar...


Mas então me lembro da sua necessidade
de nos servir e cuidar, saber, estar,
presente na vida de cada um de nós...


Hoje você até chora,
por estar tão dependente
da nossa atenção, e cuidados...


Mas posso dizer, com certeza,
estar no seu lar de domínio,
onde você nos alimentava e cuidava,
e nos dava, do seu jeito, carinho...

Posso dizer que foi mui bom,
tão bom que sai, quando o mundo lá fora
começou a ser perigoso pra mim,
então me casei....

Para os móldes do seu tempo, e da época,
foi até tarde, com 25 anos...
Eu sabia que ali era bom!
Eu tinha tempo para dar atenção pra mim,
pra fazer o que gostava, pra ser livre de apegos,
apegos tão necessários aos corações humanos,
como o de ser... Mãe!

Ah, mãe! Como é bom, e triste, e doloroso,
ser... Mãe...

Nasci tão dependente de ti, do teu útero,
do seu regaço e leite, do seu cuidado e ensinos,
que me doaste, a mim e a meus irmãos,
tão sofrega e intensamente,
da melhor maneira que sabia... amar...


Gratidão, mãe, pela mulher guerreira,
forte, trabalhadeira,
que você sempre foi
e... se deixassem...
ainda seria...

Mas te dominaram!
A idade te venceu!
Hoje, mãe, você é dependente
da maneira que podemos,
ou nos permitimos,
amar você...

Nós te amamos menos, mãe,
do que você nos amou...
Ah, com certeza, muito menos...
Eu sei... Sou mãe!

E sei que te amo muito, mas o amor
que sinto por minhas filhas parece ser maior,
ou mais profundo, ou eu que sou...
muito dependente...
do amor que sinto por elas...

As nossas prioridades mudam...

Nós somos muito dependetes
dessa atenção que precisamos tanto
que nos dediquem...

Me faço muito só... É mais fácil!
Mas você, não! Você gosta de estar presente
na vida daqueles que você sempre,
nesta vida, mais amou...
- Seus filhos (e agora netos e bisnetos...)

Te amo, mãe, mesmo que me irrite
algumas vezes, porque a vida me fez mais dura,
menos paciente, do que fui,
quando era você quem cuidava
e dava atenção
para mim....

Queria voltar a ser criança
só pra aceitar com leveza
a dependência que eu tinha de ti...


Hoje você que depende da minha atenção,
da nossa atenção, e eu já não tenho
a mesma intimidade que tinha,
hoje eu sai do seu ninho faz tempo,
e minhas necessidades mudaram...


Mãe, você é minha grande ajudadora,
que esteve presente quanto pôde...
e agora chora, porque nos distanciamos...
... nossa dependência... mudou...


Te amo mãe!
E sou mui grata,
mesmo que ás vezes ingrata,
agradeço por tudo o que fez,
e ainda faz,
por nós...


Deus nos abençoou grandemente,
quando nos deu a ti como mãe...
e teu marido, como nosso pai...

Vocês nos amaram
profunda e dependentemente,
e fizeram o melhor que puderam...

Eu sei! Gratidão!
Seremos eternamente amigas.
Nosso amor nos uniu!
E nos tornou profundamente...
dependentes... Que bom!
Gratidão!




 
Maria Tereza Bodemer
Enviado por Maria Tereza Bodemer em 15/12/2020
Alterado em 15/12/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras